Porto Alegre,
 
        
 
       
Artigos
Assembleia Legislativa
CANOAS
Famurs
FECOMÉRCIO
Governo do Estado
GRAVATAÍ
OAB
SIMERS
SISTEMA OCERGS/SESCOOP
 



 
  
 
 
26/06/2020

A  necessidade de manter-se em distanciamento social, tem trazido aos médicos preocupações em relação aos cuidados com uma série de outras doenças que continuam ocorrendo e precisam de um adequado acompanhamento e diagnóstico precoce, no caso dos cânceres. Na especialidade da Dermatologia, uma das maiores preocupações são os casos de câncer de pele, pois são os tumores malignos mais frequentes no Brasil e no nosso estado.

“As pessoas estão deixando de ir consultar por medo do coronavírus e estão deixando de salvar as suas vidas, muitas vezes. Os tumores de pele continuam aparecendo e se formando e é importante que o dermatologista seja consultado para avaliação do aparecimento de novas lesões para diagnóstico precoce do câncer de pele, em especial do melanoma, um câncer potencialmente fatal. Lembrando que quanto mais precoce for diagnosticado, maior a chance de cura”, alerta a presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia – Secção RS, Dra. Taciana Dal’Forno Dini.

A dermatologista e diretora da SBD-RS, Fernanda Magagnin Freitag, destaca, também, casos de outras doenças importantes que precisam de acompanhamento.

“Estamos percebendo casos de dermatoses agravadas pelo stress como psoríase, dermatite seborréica, acne e rosácea. Estes casos podem estar bem piores e o paciente permanece em sofrimento em sua casa. Em clínicas ou consultórios, é importante reforçar que os médicos dermatologistas estão tomando absolutamente todos os cuidados necessários para evitar a propagação da COVID-19. Entre a série de medidas estão a limpeza frequente de superfícies, disponibilização de álcool gel, consultas intercaladas, espaçamentos nos ambientes para evitar aglomeração e proteção com uso de máscaras pelos médicos e por todos os profissionais”, afirma.

Texto: Marcelo Matusiak/Foto: Freepik

 
Institucional | Anuncie Aqui | Edições Anteriores | Assine